Em vez do discurso antiprotecionista, o Brasil ganharia mais assumindo no comércio internacional uma posição em favor da agricultura “limpa” e socialmente integrada ao processo de desenvolvimento. Até porque, se os mercados fossem liberalizados, os ganhos para o País seriam menores do que se apregoa. As afirmações são de Ricardo Abramovay, chefe do Departamento de Economia da FEA-USP e membro efetivo do Conselho Científico do Centre International de Recherches pour l’Agriculture et le Développement. Para o professor, a fome no mundo só será combatida quando as populações em carência alimentar tiverem condições de fazer da atividade agrícola sua fonte de renda, em produções descentralizadas

Entrevista de Ricardo Abramovay para a revista Página 22, em 2 de setembro de 2007. Disponível em: http://pagina22.com.br/index.php/2007/09/propostas-sobre-a-mesa/

Compartilhar com amigos
  • gplus
  • pinterest

Postar um comentário