O livro explora as consequências dessa abordagem para as organizações empresariais e para o planejamento urbano. No caso das empresas, o grande achado é que a inovação não vem nem de indivíduos excepcionalmente bem dotados nem de incentivos econômicos convencionais. Vem de redes. O segredo está em combinar laços fortes de confiança (característicos de pessoas que se conhecem e se encontram com frequência) com laços fracos que estimulam indivíduos e grupos a buscar informações e formas de abordagem diferentes daquelas às quais suas próprias redes estão habituadas.

Quanto às cidades, o laboratório de Pentland coordena iniciativas de planejamento baseadas no uso de “big data” em Trento, na Itália, e em Abidjan, na Costa do Marfim. Em ambos os casos, o trabalho é levado adiante em aliança com universidades, empresas de telecomunicações, governos e organizações da sociedade civil, para abordar temas de mobilidade, saúde pública, abastecimento e segurança de forma inovadora.

As tecnologias que permitem acompanhar ao vivo aonde vamos, como nos deslocamos, com quem falamos e em que tom de voz, o que compramos, o que baixamos na internet, o que comemos e o que vestimos inspiram o temor de que o crescimento das mídias digitais seja acompanhado pela perda das liberdades humanas.

Pentland, que é frequentador assíduo do Fórum Econômico Mundial e cujas orientações de doutorado resultam com frequência em start-ups dirigidas por seus alunos, está consciente desse risco. A maneira de evitá-lo passa pelo que chama de um “New Deal on Data”, ou seja, um conjunto de garantias protocoladas, pelas quais cada um de nós é dono das informações que produz (voluntariamente ou não) e sua utilização só pode ser feita com o objetivo de produzir o bem público e mediante autorização consciente e bem informada. Um caminho interessante para que o avanço científico e tecnológico contribua para fortalecer não só o bem-estar material, mas a democracia nas sociedades contemporâneas.

“Social Physics”
Alex Pentland. Editora: Penguin. 320 págs., US$ 20,90

Ricardo Abramovay é professor titular do departamento de economia da FEA/USP e coautor de “Lixo Zero: Gestão de Resíduos Sólidos para uma Sociedade Mais Próspera”
(e-book – Planeta Sustentável/Abril)

Compartilhar com amigos
  • gplus
  • pinterest

Postar um comentário